Coordenador do sindicato participa de evento da FeteeSul em Porto Alegre


Nos dias 9 e 10 de setembro, o coordenador do Sinteep Noroeste/RS, Daniel de Oliveira, participou de um evento realizado pela Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino do Estado do Rio Grande do Sul (FeteeSul), no auditório do Sinpro em Porto Alegre.

Na manhã da sexta-feira aconteceu um seminário do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest). A mesa de honra foi integrada pelos seguintes membros da entidade: a socióloga Daniele Correa, o representante do Cerest Fábio Kalil, o médico do trabalhado Geraldo de Azevedo de Souza, e o representante do Departamento Intersindical de Estudos e Pesquisas de Saúde e dos Ambientes de Trabalho (Diesat) Pérsio Dutra (Peninha).

A socióloga Daniele Correa fez um resgate histórico do Cerest. Na sequência, o representante da entidade, Fábio Kalil, ressaltou que o trabalho não deve ser visto somente como uma busca de recursos, mas como uma forma de prazer. Kalil desafiou o público para tornar “o trabalho um elo de ligação com a sociedade, que dê prazer e não sofrimento”. Ele apresentou ainda dados estaduais dos trabalhadores afastados dos seus empregos por motivos de saúde, mostrando que 28% dos pesquisados precisaram se afastar, no mínimo um dia por este motivo.

O representante do Diesat, Peninha, enfatizou que a saúde dos trabalhadores é afetada por uma série de fatores e que o SUS vai procurar entrar na vida destes por intermédio dos Centros de Referências. Os profissionais informaram que no mês de novembro deverá acontecer um encontro da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) para os técnicos administrativos que atuam na comissão.

Os técnicos administrativos se reuniram na parte da tarde para discutir a campanha salarial. Na ocasião decidiu-se por continuar lutando por ganho real e unificação dos pisos. No último dia do evento, sábado pela manhã, aconteceu o Fórum pela Democratização das Instituições Comunitárias de Ensino Superior que discutiu o projeto da então deputada Maria do Rosário que propõe uma regulamentação específica para as Universidades comunitárias, que, a partir da aprovação deste projeto, passariam a ter direito a verbas públicas para a formação de professores.